Você está aqui: Página Inicial > Outras Notícias > 2013 > Fevereiro > Marcelo Navarro é eleito imortal da Academia Norte-Rio-Grandense de Letras

Marcelo Navarro é eleito imortal da Academia Norte-Rio-Grandense de Letras

publicado 27/02/2013 19h30, última modificação 11/06/2015 17h13

O desembargador federal Marcelo Navarro foi eleito ontem (26), por unanimidade entre os 36 acadêmicos votantes, para integrar a Academia Norte-Rio-Grandense de Letras. O magistrado do TRF5 vai ocupar a Cadeira de nº 39, que anteriormente pertencia ao jurista Raimundo Nonato Fernandes, e tem como patrono o poeta Damasceno Bezerra.

A notícia foi recebida com surpresa pelo desembargador. A eleição estava marcada para a próxima sexta-feira (1º de março), mas foi antecipada para ontem (26) e o magistrado não ficou sabendo. À noite, recebeu a ligação do presidente da Academia dando a notícia e parabenizando.

“Fiquei feliz porque minha candidatura foi levada adiante por amigos. De alguma maneira, acredito que é uma homenagem ao Tribunal. Fui escolhido por ter um perfil parecido ao meu antecessor, que também era da área do Direito. Por isso também me sinto como um representante das Letras Jurídicas na Academia”, declarou o magistrado.

MUNDO DAS LETRAS – O desembargador coordena o projeto “Jurista Literário”, que está partindo para a terceira edição. Nele são publicados trabalhos não jurídicos de profissionais do Direito, como contos, poesias e ensaios. “É um espaço para que a pessoa que se dedica à área jurídica possa também mostrar sua afeição pela literatura propriamente dita”, explica Marcelo Navarro.

Além de cinco livros jurídicos já impressos, o magistrado também escreveu um livro de poemas, mas que ainda não foi publicado. O desembargador federal ainda se dedica a traduções. Já traduziu trechos de poemas de Walt Whitman, que foram divulgados em um jornal cultural de Natal. Atualmente, Marcelo Navarro está traduzindo, por hobby, o autor italiano Andrea Camilleri. Já completou a tradução de quatro romances e dois contos do autor.

Fonte: Ascom - TRF5